Um comunicado emitido por especialistas de todo mundo no Dia Mundial da Água, celebrado em 22 de março, pode trazer mudanças para a próxima Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP26), em Glasgow. Eles alertaram que o oceano está “sob ameaça como nunca antes vista” e apelaram a líderes mundiais para “colocar os ecossistemas marinhos no centro da política climática”.

Liderada pela Fundação para a Justiça Ambiental (EJF) e apoiada por 66 grupos parceiros, a carta, assinada por mais de 3 mil cientistas, políticos e outras figuras públicas pede a os governos nacionais para “reconhecer a importância crítica de nosso oceano e do carbono azul na luta contra a emergência climática”.

“Soluções baseadas na natureza, como restauração e proteção de habitats marinhos, nos ajudarão a cumprir as metas globais de descarbonização e evitar os piores impactos do aquecimento global, ao mesmo tempo em que protegem as vidas e meios de subsistência de três bilhões de pessoas que dependem da biodiversidade marinha em todo o mundo”. disse Steve Trent, diretor executivo da EJF.

“Nossos líderes políticos devem reconhecer a urgência da crise climática e tomar medidas realmente ousadas e transformadoras para alcançar uma economia global de carbono zero”, apelou o especialista.

Confira a carta na íntegra.